segunda-feira, 4 de março de 2013

Pequeno devaneio colorido... Sem cor...

Aurora

Cores resplandecentes dançam em um mundo paralelo, todas juntas se misturam, criam uma.
Recém-nascidas se deslumbram. Saltitantes vão cantantes.
Uma a uma se dividem, se omitem.
Fascínio vago e exacerbado rouba vidas, cria rimas.
Dor calada que há em mim, cifra d’água jaz em ti.
Canção morta de onde vai florescer rosas banais.
Corcel vivo e destemido galopeia sem sentido.
Perdição cantarolada ao cavalo de batalha.
Memorável esquecimento faz nascer contentamento.
Sordidez inalterada pelo corte da navalha.
Dor conjunta de outra hora vem trazer a nova aurora.
Tons serenos em conjunto glorificam o novo mundo.



Jéssica Leandro



Nenhum comentário:

Postar um comentário