sexta-feira, 26 de julho de 2013

Ensaios de uma busca - parte 03

Estamos começando um processo de abertura do nosso trabalho, lento e gradativo... A primeira etapa é dar a alguns amigos o texto da peça para que eles leiam e comentem... Brevemente abriremos os ensaios...

Abaixo está a reflexão feita pelo nosso amigo Rodrigo Pignatari, um dos integrantes do Grupo Glacê...

Valeu pelas palavras Pig!

No todo fica a ideia de uma guerra entre razão e paixão/sensação, a luz e a escuridão, o apolíneo e dionisíaco. E deste conflito sai a busca de uma personagem que nos mostra o movimento da humanidade do inicio/paixão, a vida até a razão/civilização e os avanços deste movimento. Da cidade ideal até a mesma, corrompida em detritos e o homem reconhecendo, nele e nela, este movimento com violinistas que enfrentam governos e margens que ganham formas sólidas. Tudo isso se constrói e se torna consciente no conflito entre razão e paixão/sensação. Então esta personagem se encontra novamente com a paixão e vive novamente plena=arte. Como no inicio, em que éramos apenas uma força solta na existência.

Fico curioso como este texto se mostrará como objeto cênico, como se mostrará EVA, o PENSADOR, CIDADÃO COMUM... E como estes personagens vão estar neste cenário que me parece um côncavo-convexo, yin-yang... É como se o cenário fosse a linha que fica entre estas duas forças. E como se mostra então esta imagem? Como se mostra esta personagem que supera o homem? Como seria isso? Tenho pra mim que seria algo maior que a liberdade (pois a mesma já tem uma função)...

Nenhum comentário:

Postar um comentário