quinta-feira, 4 de abril de 2013

Sinestesia em versos


SIM, ÊXTASE HÁ!


Sua doce presença ilumina o meu caminho.
Fonte geradora de sonoras imagens
Que se encaixam em um quebra-cabeça de emoções.
Bebo sua beleza imensa
Em goles de felicidade intensa
Que descem pela minha garganta,
Transmitindo o calor azul de uma manhã de abril.
Gotas de chuva tornam verde a relva,
Transformando você em um campo florido
De perfumes quentes e cores doces.
Mergulho nesse mar profundo de ondas celestiais
E viajo em estrelas repletas de areia cósmica,
Com textura branca e superfície barulhenta.
Afogo-me em seu abraço quieto,
Morrendo em uma surdez clara e resplandecente.
Ressuscito para uma nova vida suave,
Em um mundo de música brilhante,
Onde existem três vidas:
Eu, você e o infinito amor que nos une.

Roman  Lopes

Sem dor... Sem alegria... Devaneio puro

Longo, branco amarelado pela vida no armário, o vestido esvoaçava. Ela queria que ele fosse animado, rastejasse para debaixo dos pés e a soltasse de seu equilíbrio natural para a queda.

A goiaba no pé, a madeira fina do cabo como única ligação com a árvore. A fragilidade aparente como sustentação. O peso do corpo que já cai, ainda que de pé. A fruta madura sente a pressão do iminente, breve, que pesa sua substância inteira.

A mulher do vestido passado pelo tempo também sente. E teme. E deseja. A vertigem, entregar-se e não ter mais de sustentar a pressão de erguer-se. Amolecer... A ligação se rompe. Ela tomba. Desmorona nos braços do homem que não vê, apenas sente e assume como nova sustentação.

A renda recobre os braços desfalecidos no vestido. Os lábios semiabertos. A beleza acariciada, beijada e adorada pelas mãos frias e olhos que devoram e agem. Linda e imóvel no ruir do peso. Elogiada, desfila seu corpo adormecido, atormentado. A carne começa a se deteriorar no interior da casca adorada, mole e amarga.

A fruta estoura na terra e apodrece.

Bianca Nuche

Aventura em Curitiba

Depois de um tempo ausente dos ambientes virtuais, estamos de volta da nossa viagem à Curitiba, onde participamos do Festival de Teatro... Com alguns problemas e muita disposição, retornamos dessa aventura e trouxemos na bagagem algumas pequenas discussões, algumas reflexões sobe o Festival e sobre o fazer teatral em geral e alguns contatos importantes, de artistas maravilhosos que conhecemos por lá...
Abaixo, algumas fotos de uma das nossas apresentações...